Referências

Em casa, nas principais cidades mundiais

O Econic NGT goza de enorme popularidade na Holanda como veículo de distribuição.

A Simon Loos Logistic planeia implementar 30 Econics a gás natural para as operações de distribuição de mercadorias na cidade. Dentro dos limites da cidade, as mercadorias são distribuídas por veículos de entrada de baixa altura. As numerosas vantagens oferecidas pelo Econic incluem operação económica em diversas cidades. Há muitas e boas razões para escolher um Econic.

São 5 da manhã de segunda-feira, o dia está prestes a nascer. O quartel-general da Simon Loos B.V. em Wognum (Holanda) fervilha com toda a atividade. As lojas ao redor de Amesterdão têm os stocks praticamente esgotados e aguardam impacientemente pelas novas entregas. Nas instalações da empresa, os semirreboques manobram. Um camião LZV gigantesco (combinação de veículo longo com atrelado) atravessa o entreposto enquanto um Econic de duplo eixo se dirige para a saída. Com a sua facilidade de entrada e design de clareza fantástica as qualidades deste veículo de entrada rebaixada ao serviço do setor público não passaram despercebidas nas operações de distribuição na cidade.

Elevada procura: compatibilidade ambiental económica

“Quando se trata da nossa frota de veículos, os nossos clientes têm três requisitos principais:”, explica Simon Loos, Diretor Executivo da empresa, agora na sua terceira geração. “Têm de ser ambientalmente responsáveis, responsáveis para com o meio ambiente e também respeitar o meio ambiente!” Mas, para Loos, que tem a seu cargo a coordenação de uma frota de mais de 425 veículos tratores e 645 veículos rebocados, esta exigência de compatibilidade ambiental tem de ser acessível: “Desde 2005, os nossos semirreboques, dos quais 75% são veículos Mercedes-Benz, foram convertidos de forma a cumprirem a norma Euro 5.”, continua o Sr. Loos. “Antes de investirmos em veículos novos, falámos com os nossos clientes – tal como sempre fazemos – para percebermos quais erão os seus objetivos de negócio. Rapidamente percebemos que o principal fator era a máxima compatibilidade ambiental. Como a norma Euro 6 ainda não está em vigor, o nosso objetivo atual é a norma EEV”.

O Econic a gás natural liquifeito

O combustível é fornecido por uma estação local de gás natural. Mas o Sr. Loos já tem planos para a fase seguinte. Com o objetivos de conseguir maiores autonomias por cada veículo e otimizar as suas cargas úteis, Loos consultou a Mercedes-Benz Netherlands e os engenheiros especialistas da fábrica de Wörth antes de mandar converter os seus veículos para funcionamento a GNL (Gás Natural Liquefeito). “Agora, o Econic a GNL já está disponível com depósitos em aço inoxidável, que são mais leves e têm maior capacidade”, acrescentou o Sr. Loos, que também tinha outra proposta inovadora: “Falámos com os nossos clientes acerca da possibilidade de instalar um sistema especial para extrair biogás dos géneros alimentícios já fora de prazo”. Operar um Econic a biogás seria um importante passo no sentido de obter uma operação isenta de emissões de CO2.

“Mas não nos devemos esquecer que há muitas cidades na Holanda que já têm em vigor restrições de acesso a veículos que não cumpram determinadas normas europeias sobre emissões de poluentes”, continua o Sr. Loos. “É de prever que essas restrições fiquem cada vez mais exigentes. É aqui que o Econic a gás natural se revela com todo o seu potencial”. Isto tem impacto acrescido nas previsões dos experts de logística e indica que o setor da distribuição alimentar está em mudança, uma mudança dramática. “Caminhamos para uma distribuição com entregas durante as 24 horas do dia, 365 dias por ano”, conclui o Sr. Jan Bergblom. “E isso só se conseguirá com veículos especializados”.

Elevada procura para o Econic

Após a implantação bem sucedida do primeiro Econic a gás, Simon Loos já encomendou mais 28 veículos. O seu plano é lançar 23 tratores para rebocar os atrelados até aos retalhistas. As entregas diretas ficarão a cargo de um determinado número de veículos e outros serão aplicados em combinações LZV (veículos longos de atrelado). Loos também terão em operação sete veículos de dois eixos com sistema de refrigeração acionado pelo motor que serão usados em áreas confinadas e sensíveis ao ruído. Os motoristas já estão a perguntar quem será que vai conduzir o Econic, em vez dos camiões convencionais. Por outro lado, já há um número considerável de clientes que insistem que, no futuro, as suas entregas sejam feitas por estes veículos especializados de entrada rebaixada. Por esta altura, já o sol vai a pino e as necessidades das lojas de Amesterdão parecem ter sido todas satisfeitas. Mas os clientes nunca estão estão satisfeitos – e as prateleiras já começam a ficar vazias. A logística do ramo alimentar é um negócio que se movimenta ao ritmo do relógio. Os motoristas do primeiro turno estão agora a largar o serviço. Mas, para o Econic, não haverá descanso: uma entrega rápida de documentos, algumas instruções breves sobre a próxima entrega, um rodar da chave na ignição e o motor a gás desperta novamente para a vida. Amesterdão nunca dorme.

Dados técnicos:

 
Chassis Modelo 1828 LS NGT 4x2
Motor Potência: 205 kW (279 cv)
Standard de emissões: EEV
Cilindrada: 6, 9 litros
Binário máx. (N·m/rpm): 1.000/1.400
Transmissão de Potência & Peso Transmissão automática Allison de 6 velocidades
Peso bruto admissível: 18.000 kg