WLTP e RDE – os novos processos de inspeção.

Os processos de certificação também estão a ficar antiquados. Por isso, o "Worldwide Harmonized Light Vehicles Test Procedure", abreviado WLTP, substitui o processo NEDC para determinação dos valores de consumo e emissões. O "New European Driving Cycle" (NEDC), utilizado na Europa desde 1992, começou por ser desenvolvido como viagem de medição teórica. Contudo, um processo de certificação moderno deve fornecer valores tão próximos da realidade quanto possível. O processo NEDC já não consegue cumprir esta exigência. Por isso, desenvolveu-se o processo WLTP, a partir de uma iniciativa da Comissão Económica das Nações Unidas para a Europa (UNECE). O novo ciclo WLTP baseia-se em dados de condução reais, recolhidos empiricamente em rotas na Ásia, Europa e nos EUA e, como consequência, é claramente mais de acordo com as reais condições de utilização.

Adicionalmente, segundo o novo processo de certificação, as emissões de poluentes são medidas durante a operação real do veículo em estrada: nas mais recentes normas Euro 6c, Euro 6d-TEMP e Euro 6d, a certificação WLTP, em laboratório, é complementada por uma medição das emissões de poluentes em estrada. A determinação das emissões geradas pelas condições reais de condução, as "Real Driving Emissions", abreviado RDE, pretende garantir que os valores limite para poluentes aplicáveis aos óxidos de azoto e ao número de partículas são respeitados e não apenas em laboratório, mas também no trânsito real em estrada.

Mais transparente e mais próximo do consumo na estrada.

O processo WLTP reduz, nitidamente, a diferença entre os valores determinados no banco de ensaio e os valores de consumo reais. O que se deve ao novo ciclo de condução, que representa melhor os perfis de condução atuais. Além disso, os valores de consumo têm de ser especificamente identificados para cada veículo. Ou seja: a determinação dos valores de certificação tem em conta a massa, a resistência ao ar e ao rolamento, bem como os equipamentos especiais. Acresce a determinação das "Real Driving Emissions", abreviado RDE, que assegura que os valores limite de substâncias nocivas para óxidos de azoto e número de partículas são respeitados não apenas em laboratório, mas também no trânsito real na estrada.

No entanto, mesmo o WLTP não pode fornecer valores de consumo "individuais". Não deixa de ser um ciclo de teste normalizado, que não consegue representar o consumo individual de cada condutor. O consumo real de um veículo na estrada depende muito do comportamento de condução individual, do perfil dos percursos, da densidade do trânsito, da carga do veículo e de circunstâncias exteriores, tais como as temperaturas. Isto não pode ser individualmente reproduzido num processo de teste normalizado.

WLTP & RDE em resumo

Tipo de emissões

Menos emissões de poluentes para uma qualidade melhorada do ar.

Fase de transição

Diferentes datas limite para a transição ao nível da UE.

WLTP

Determinação mais realista do consumo e das emissões: o novo processo WLTP.

Consequências para o cliente

Certificação uniforme, tributação diversa.

RDE

Emissões de partículas e de carbono medidas em estrada: Real Driving Emissions (RDE).

Estilo de condução

Conduzir com inteligência, economizar combustível. Otimizações da eficiência através do estilo de condução.

Lorem Ipsum