WLTP.

Determinar o consumo e as emissões de forma mais realista.

O novo processo WLTP.

Os processos de certificação também estão a ficar antiquados. Por isso, o "Worldwide Harmonized Light Vehicles Test Procedure", abreviado WLTP, substitui o processo NEDC para determinação dos valores de consumo e emissões. O "New European Driving Cycle" (NEDC), utilizado na Europa desde 1992, começou por ser desenvolvido como viagem de medição teórica. Contudo, um processo de certificação moderno deve fornecer valores tão próximos da realidade quanto possível, que lhe permitam comparar vários tipos de veículos. O processo NEDC já não consegue cumprir esta exigência. Por isso, desenvolveu-se o processo WLTP, a partir de uma iniciativa da Comissão Económica das Nações Unidas para a Europa (UNECE). O novo ciclo WLTP baseia-se em dados de condução reais, empiricamente recolhidos de rotas na Ásia, Europa e nos EUA e, consequentemente, é claramente mais representativo.

Nos termos do art.º 15.º números 2 e 3 do Regulamento 2017/1151/UE, aplicam-se as seguintes datas de introdução:

  • 01.09.2017: novos tipos de veículos em caso de veículos da classe M1 e M2
  • 01.09.2018: veículos novos em caso de veículos da classe M1 e M2
  • 01.09.2018: novos tipos de veículos em caso de veículos da classe N1 grupos II e III e da classe N2
  • 01.09.2019: veículos novos em caso de veículos da classe N1 grupos II e III e da classe N2

Novo ciclo de condução e valores específicos para cada veículo.

WLTP e NEDC em comparação.

A novidade da certificação WLTP reside sobretudo no ciclo de ensaio e na exigência de identificar os valores de consumo específicos para todas as configurações possíveis de um veículo.

A comparação entre ambos os ciclos de ensaios permite constatar que, face ao ciclo NEDC, o ciclo WLTP está mais próximo da realidade e é mais exigente: ele demora 30 em vez de 20 minutos, inclui acelerações mais frequentes e o tempo em que o veículo está parado é claramente reduzido. A velocidade máxima de 131 km/h também está cerca de 10 km/h acima da do ciclo NEDC.

Acresce que os valores de consumo e de emissões no processo WLTP são determinados de forma específica para cada veículo, uma vez que a massa, bem como a resistência de um veículo ao ar e ao rolamento podem alterar-se em função do equipamento do veículo. Também são considerados equipamentos opcionais. Se selecionar uma roda que beneficia a aerodinâmica como equipamento especial, é bem possível que tenha uma influência positiva sobre os valores de consumo.

Mais próximo do consumo em estrada.

Vantagens do WLTP.

Os valores apurados segundo o processo WLTP estão significativamente mais próximos dos seus valores de consumo reais em estrada, do que os valores determinados segundo o processo NEDC. O que se deve ao novo ciclo de condução, que representa melhor os perfis de condução atuais. Além disso, os valores de consumo têm de ser especificamente identificados para cada veículo. Ou seja: a determinação dos valores de certificação tem em conta a massa, a resistência ao ar e ao rolamento, bem como os equipamentos especiais.

No entanto, mesmo o WLTP não pode fornecer valores de consumo "individuais". Não deixa de ser um ciclo de teste normalizado, que não consegue representar o consumo individual de cada condutor. O consumo real do seu veículo, em estrada, depende muito do estilo de condução individual, do perfil dos percursos, da densidade do trânsito, da carga do veículo e de circunstâncias exteriores, tais como as temperaturas. Isto não pode ser individualmente reproduzido num processo de teste normalizado.